29 de nov de 2008

sem título

Não vejo você
Na verdade vejo nada
Por que não tenho olhos

Também não vejo a dor
ou o amor

Já que faltam cores na escuridão, 
por de baixo do tapete.
Que ninguém vê

Nenhum comentário: